CHICO: O MEU AMOR...


Primeiramente, deixe-se envolver pelos versos dessa linda canção de Chico Buarque ("O Meu Amor" - 1978), depois continuaremos nosso bate-papo, assim: de mulher pra mulher!

Leia também: As Dores e as Delícias da Relação Amorosa

"O meu amor tem um jeito manso que é só seu

E que me deixa louca quando me beija a boca A minha pele toda fica arrepiada E me beija com calma e fundo Até minh'alma se sentir beijada

O meu amor tem um jeito manso que é só seu Que rouba os meus sentidos, viola os meus ouvidos Com tantos segredos lindos e indecentes Depois brinca comigo, ri do meu umbigo E me crava os dentes

Eu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapaz Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz

O meu amor tem um jeito manso que é só seu Que me deixa maluca, quando me roça a nuca E quase me machuca com a barba mal feita E de pousar as coxas entre as minhas coxas Quando ele se deita

O meu amor tem um jeito manso que é só seu De me fazer rodeios, de me beijar os seios Me beijar o ventre e me deixar em brasa Desfruta do meu corpo como se o meu corpo Fosse a sua casa

Eu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapaz Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz." Sentiu a poesia lasciva que exala por entre cada verso? Confessa vai! sentiu aquele arrepio voluptuoso na espinha? Pois é, não é à toa que Chico é considerado o compositor brasileiro que mais entende o universo feminino. Assim como Almodóvar (no cinema), ele sabe como ninguém, infiltrar-se sob "a pele que habito". Como um hábil cirurgião, arranca de nossas entranhas, nossos desejos e anseios mais secretos e os exprime de forma prosaica, verdadeira, dolorida, sentida e apaixonada.

Esta canção é um frêmito de gozo e deleite feminino. É a genuína expressão de amor da "fêmea" no cio. Nessa, como em outras músicas de sua composição, Chico mergulha fundo em nossa essência e traduz, com a maestria de um gênio, as dores e as delícias da tão complexa tessitura do ser mulher. Porque somos assim, cheias de incongruências: indecifráveis, previsíveis, loucas, carentes, meigas, desvairadas, inconsequentes, incoerentes, sensíveis, sensuais, ternas, dóceis, maternas...

Nesta composição em particular, Chico se "veste" de mulher, usa nossa "capa", para sentir nossas sensações, nossa volúpia e toda lubricidade que exala pelos poros no ápice do nosso desejo sexual. Poucos homens conseguem entender tão bem a alma feminina. Ah! Mas Chico Buarque de Hollanda - ou simplesmente Chico Buarque - é etéreo... já foi alçado à categoria de iluminado, guru, mago, deus-poeta das causas sentimentais femininas. Entretanto, até os deuses são incompreendidos e alvos de petardos. Por conta da sua mais nova canção, “Tua Cantiga” , Chico Buarque foi acusado de machista. A letra da música fala de uma paixão arrebatadora de um homem pela amante. “Será que é machismo um homem largar a família para ficar com a amante? Pelo contrário. Machismo é ficar com a família e a amante”. Respondeu ele nas redes sociais. Polêmica à parte. Em minha opinião, ele continua sendo o compositor brasileiro que mais se debruça sobre a janela feminina.


Presente: Deleite-se com o vídeo da música "O Meu Amor"!!

#ChicoBuarque #amor #lascívia #sexo #canção

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram Social Icon

           www.janelafeminina.com

 created  by Marlúccia Araújo 2015

        Web designer:  Lucas Reis